27/05/2020 – Responsabilidade na venda de fios e cabos

Apesar da pandemia do Covid-19 ter mudado o dia a dia das lojas de materiais elétricos, e muitas lojas terem se adaptado rapidamente para realizarem suas vendas por meio do comércio eletrônico, é certo que muitas delas continuam somente com a venda tradicional de materiais em suas lojas físicas.

Por outro lado, temos que admitir que a conhecida “venda de balcão” é muito mais atraente para o consumidor, visto que há uma pessoa detrás dos balcões que influencia diretamente a compra de materiais para reforma ou construção: O VENDEDOR.

Como o vendedor pode ajudar o consumidor na escolha do produto certo

O comércio on-line é uma ferramenta digital que veio sim para ficar, mas que não substituirá a compra física, afinal, muitas vendas acontecem, porque o vendedor é quem soluciona as dúvidas e ajuda o consumidor a escolher o produto correto.

E convenhamos que não tem coisa melhor do que você ir até a loja de materiais elétricos, e poder conversar e sanar todas as suas dúvidas com quem entende muito do assunto!

Mas, quando os vendedores trabalham em lojas de materiais elétricos, podemos dizer que a sua responsabilidade perante ao cliente é ainda maior. Sabe por que? Simplesmente, porque os produtos que eles vendem estão diretamente relacionados com a segurança e com a vida das pessoas.

As estatísticas de mortes por acidentes com eletricidade confirmam os perigos

Segundo dados do Anuário Estatístico de Origem Elétrica da Abracopel [Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade], somente no ano de 2019 ocorreram 656 incêndios gerados a partir de uma sobrecarga ou curto-circuito na instalação elétrica. 

Esses dados evidenciam o descaso por parte da população na falta de manutenção das instalações elétricas antigas, e também reforçam a necessidade de utilizar fios e cabos confiáveis, ou seja, que não seja desbitolado.

Entenda o que são fios e cabos desbitolados 

Um cabo considerado desbitolado, é um cabo que foi fabricado em desacordo com as normas vigentes de fabricação, ou seja, não possui a quantidade de cobre suficiente para obter a resistência elétrica necessária.

Quando um cabo tem uma quantidade de cobre menor do que a recomendada pela norma, ocorre um aumento na resistência elétrica, ou seja o cabo tem um super aquecimento, o isolamento pode derreter, vir a provocar um curto-circuito e por consequência gerar um incêndio.

As apreensões de fios e cabos desbitolados reduzem o risco de vida

Com o objetivo de reduzir a comercialização de fios e cabos desbitolados, um trabalho realizado pelo Sindicel [Sindicato da Indústria de Condutores Elétricos, Trefilação e Laminação de Metais Não Ferrosos do Estado de São Paulo] em parceria com a Qualifio, realizou no ano de 2019 a apreensão de 34 marcas irregulares de fios e cabos que estavam sendo comercializados por diversas empresas e lojas ao redor do Brasil.

Somente na cidade do São Paulo, o IPEM – Instituto de Pesos e Medidas, apreendeu 22 marcas irregulares, onde foram instaurados inquéritos no Ministério Público. As multas podem chegar a cerca de 1 milhão de reais.

 

Vender fios e cabos desbitolados é colocar em risco a vida de seu cliente

Agora que você já entendeu o que são fios e cabos desbitolados, e os perigos que eles podem causar na instalação elétrica de uma residência, é o momento de você garantir uma instalação elétrica segura para seus clientes.

Se você é vendedor ou lojista de materiais elétricos deve ter somente um lema em sua mente: vender produtos confiáveis que não coloquem em risco a vida e o patrimônio de seus clientes.

Desta maneira, você estará contribuindo para diminuir o número de acidentes com eletricidade e ajudando a reduzir a comercialização de produtos não confiáveis no mercado.

Fonte: Qualifio